CRENÇA NO ESPÍRITO SANTO

Leopoldo Costa

O conceito geral de um espírito que permeia o Universo é uma característica comum da maioria das religiões, como no Hinduísmo, no Taoísmo e entre os povos indígenas das Américas. Porém, o termo Espírito Santo refere-se especificamente às crenças das religiões monoteístas abraâmicas.

No Judaísmo Deus é único. Não há menção explícita no Judaísmo bíblico, da existência de uma pessoa divina separada. Mesmo no Novo Testamento não existe uma declaração clara a esse respeito. As referências ao Espírito de Deus (Ruach Hakodesh), o Espírito Santo de Javé são várias, no entanto rejeita-se qualquer ideia do Deus Eterno com o sentido de duplo ou trino. O termo 'Ruach Hakodesh'  é encontrado com frequência na literatura talmúdica. Em alguns casos o termo significa 'inspiração profética', enquanto em outros é usado como uma metonímia para Deus. Tem um certo grau de personificação mas permanece uma qualidade inerente a Deus, um de seus atributos e não como no Cristianismo uma divisão metafísica da divindade.

No Islamismo, o Espírito Santo (em árabe 'al-Ruh al Qudus') é mencionado várias vezes no Alcorão, onde é um  agente da ação divina ou de comunicação entre Deus e os homens. No Hadith é comumente identificado como o anjo Gabriel (em árabe 'Jibril'). O Espírito (em árabe 'al-Ruh'), sem o adjetivo 'santo' também é usado como espírito criativo de Deus,pelo qual Deus deu o sopro de vida a Adão e inspirou os anjos e os profetas. O conceito de Trindade é rejeitado pelo Alcorão que considera a crença como pecado grave, assim como a ideia da dualidade divina.

Também chamado de Paráclito a crença do Espírito Santo é parte do dogma da Santíssima Trindade. A definição que o Espírito Santo como uma pessoa divina distinta e idêntica em substância ao Pai e ao Filho foi proclamado no concílio de Constantinopla em 381.

No Cristianismo, diversas alusões ao Espírito Santo aparecem nos Atos dos Apóstolos sendo associado ao poder de expulsar demônios e a faculdade dada às pessoas de falar em línguas desconhecidas (glossolalia). Apareceu na forma de 'línguas de fogo' sobre os díscípulos durante o evento conhecido como Pentecostes.

Para a maioria dos cristãos o Espírito Santo é a terceira pessoa da Trindade. O termo 'espírito santo' (Ruach Hakodesh) aparece  uma vez no livro Salmos e duas vezes em Isaias. 'Ruach' significa 'sopro'. No Antigo Testamento existem referências ao Espírito de Javé, uma antecipação à doutrina do Espírito Santo adotada no Novo Testamento. A palavra hebraica 'ruach' (traduzida como 'espírito' nas Bíblias) também é encontrada em diversos textos referentes à livre atividade de Deus, seja na criação ou na conexão entre a profecia e a espera do Messias.

As igrejas orientais e ocidentais desde então têm-se aceito a entidade do Espírito Santo como um vínculo absolutamente unido ao Pai e ao Filho. Na igreja ocidental é aceito que o relacionamento entre o Espírito Santo pode ser diretamente com o Pai ou o Filho e na igreja oriental que procede diretamente do Pai, através do Filho.

Desde os tempos apostólicos a fórmula foi trinitária. A confirmação ou crisma, embora não aceita pela maioria dos protestantes como um sacramento tem sido intimamente ligada com o papel do Espírito Santo na Igreja. A Igreja Ortodoxa Oriental sublinhou a descida do Espírito sobre a congregação e na adoração da hóstia e do vinho conhecida como 'epiclesis'.

Desde os primeiros tempos do Cristianismo vários grupos descontentes com a falta de liberdade e da vitalidade da igreja institucional, pediram maior sensibilidade para as efusões do Espírito Santo, como aconteceu mais tarde  no movimento pentecostal do século XX.

A Fé Bahá'í é uma religião monoteísta independente fundada por Bahá'u'lláh na Pérsia do século XIX que enfatiza a unidade espiritual da humanidade e não possui dogmas, clero, nem sacerdócio. Na Fé Baha'i existe o conceito de o 'Maior dos Grandes Espíritos' visto como uma graça de Deus. É geralmente usado para descrever a descida do espírito de Deus sobre os mensageiros profetas divinos e incluem entre outros Jesus, Maomé e Baha'ullah. Na crença Baha'i, o Espírito Santo é o canal através do qual a sabedoria de Deus torna-se intrinsecamente associado ao seu mensageiro, sendo descrito de diferentes maneiras nas religiões, como a sarça ardente de Moisés, o fogo sagrado de Zoroastro, o pombo de Jesus, o anjo Gabriel de Maomé e da serviçal do céu de Baha'u'llah. O ponto de vista do Baha'i rejeita a ideia de que o Espírito Santo é um parceiro de Deus na Trindade,mas é a pura essência dos atributos de Deus.

O teólogo coreano Chung Hyun Kyung defende que a imagem do Espírito Santo surgiu a partir da imagem de Kwan In, que é venerada como deusa da compaixão e da sabedoria no leste da Ásia.